top of page

A beleza, a estética e a sexualidade, por Dr. António Marques Moura




A beleza e a estética poderão parecer a mesma coisa, mas existem diferenças óbvias. A primeira é uma palavra conceptual e que muda com os tempos consoante os padrões de beleza qua a sociedade vai estabelecendo ao longo dos tempos. A beleza pode existir sem estética, sendo a estética mais um conceito de harmonização e equilíbrio das formas no corpo e na mente.


A sexualidade sendo uma matéria importante e sensível para o equilíbrio do corpo e da mente não vive unicamente da beleza e da estética e depende também dos outros órgãos sensoriais que não unicamente a visão a qual determina o chamado sentido estético; por este motivo a sexualidade é mais complexa pois ela depende do olfato, do toque, da audição e dos sabores ou seja do universo alargado dos sentidos e que ajudam a aproximar os seres humanos e a viver as suas relações.


Com estes conceitos bem arrumados na mente percebemos que o relacionamento não é só físico, mas sensorial e intelectual e que o equilíbrio sexual é o resultado da união sensual, estética e mental entre 2 seres humanos, mais do que a beleza conceptual e os seus padrões.


Percebemos, assim muitas relações entre casais que são excelentes e vividas intensamente pelos próprios e que mesmo depois da dita beleza estética ser abalada por um qualquer acidente traumático (amputação, queimadura ou dismorfias) ou não traumático (alterações próprias do crescimento ou envelhecimento) se vão mantendo, se renovam ou até mesmo melhoram após um qualquer infortúnio pessoal de um deles.


A união entre dois seres humanos vai muito além da beleza estética e a componente da sexualidade ainda que possa estar disfuncional ou em desequilíbrio após uma alteração física de um dos parceiros pode ser corrigida ou melhorada por cirurgia plástica ou reconstrutiva e dessa forma muitas vezes melhorar a ansiedade , o medo ou a perda de autoestima que possa surgir num dos parceiros ou em ambos; desta forma é pois sempre possível gerir a mente ( com psicólogo e/ou psiquiatras de apoio ) e o corpo ( com cirurgias reconstrutivas e apoio de um cirurgião plástico ) ajustando ou mesmo melhorando a seu tempo a componente sexual do casal sendo para isso importante manter a sensualidade e os sentimentos bem presentes e vivos , vindo-se a estabelecer muitas vezes relações belas e sólidas , e que fazem do ser humano uma espécie única a ser preservada e bem tratada pela sociedade no nosso planeta Terra.


Dr. António Marques Moura, Cirurgião Plástico

www.marquesmoura.pt


122 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


LWP_Logo_250_250.png
bottom of page