top of page

Marta Aragão Pinto e o Sorriso sem tabu




Marta Aragão Pinto, 46 anos, encara a vida de uma forma contagiante e extensível. Com a sua alegria, otimismo e o seu sorriso contagiante, este é o espelho da sua alma.

Uma mulher empreendedora e CEO da Ofélia, que dá voz ao empreendedorismo e ao empoderamento feminino.


Atualmente é casada com Filipe Terruta, Mãe de três raparigas: a Mónica, Vera e Joana e de um rapaz: o Henrique. É uma família onde não falta amor.



Encarou quatro gravidezes saudáveis, sem qualquer limitação e em fases diferentes. A última já tardia aos 42 anos em que nasceu o Henrique, uma gravidez planeada. Este bebé veio trazer mais luz a esta família.


Neste mês de maio, o mês da Mães, mês do Amor. Numa entrevista ao Love with Pepper, Marta abre o seu coração e fala-nos do desafio da maternidade aos 40 anos.


O que é ser Mãe?

Ser Mãe é a minha missão de vida. Desde de muito pequenina sempre sonhei em ser Mãe e sempre foi aquilo que quis ser antes de tudo.



Como foi encarar uma gravidez tardia?

Foi uma gravidez totalmente planeada, em que tanto eu como o meu marido sempre dissemos que aos 40 anos queríamos voltar a ser pais e a irmãs estavam sempre a pedir um bebé na família, mas encarei tudo de uma forma muito natural.


Quais os seus maiores receios?

Como sempre fui uma pessoa muito otimista e vejo sempre o lado positivo, não tive receios, mas a minha equipa médica foi-me sempre alertando dos prós e contras de uma gravidez aos 40.


Como é ser Mãe de três raparigas e um rapaz?

Fui mãe em décadas diferentes, a Mónica e a Vera aos 20, a Joana aos 30 e o Henrique aos 40 o que torna tudo diferente. As raparigas além de serem irmãs são as três melhores amigas e companheiras. Elas são o reflexo do que eu fui, é maravilhoso vê-las a crescer e a construir a sua própria personalidade. No caso do Henrique é um desafio porque ele tem uma energia e requer muita atenção, porque também os rapazes nunca param quietos, ao contrário das raparigas.


Como é a sexualidade na gravidez?

Como eu nunca coloco rótulos e não é por estar grávida que ia ser diferente, também encarei tudo de uma forma natural e normal.


De que forma é que a gravidez lhe alterou a autoestima?

A gravidez não me afetou em nada em relação à autoestima, pelo contrário adorava estar grávida, mostrar a minha barriga, sentia-me a mulher mais linda e poderosa do mundo.


Como foi retomar a sexualidade pós-parto?

Apesar da minha médica me alertar do que talvez me fosse acontecer, levei sempre tudo de uma forma bastante natural e o meu marido também. Caso haja desejo e vontade, tudo acontece!


Com o nascimento dos seus filhos, considera que existe alterações na intimidade do casal?

O único fator que na minha opinião interfere na intimidade do casal é o deixar de ter amor, desejo, paixão e química, mas o filhos não alteram nada.


Como Mãe, considera que a educação sexual nas escolas é fundamental?

A educação sexual é um tema fundamental, deve ser trabalhado em casa, para quando for abordado na escola, os jovens estejam preparados e familiarizados. Porque hoje em dia ainda existe muito preconceito e tabu. Alguns miúdos levam o tema para o gozo, piada fácil e são muito imaturos. Com um trabalho de casa e uma escola com uma boa equipa realiza-se um bom trabalho.


Alguma vez chegou a abordar alguns temas relacionados com a sexualidade com as suas filhas?

Sempre falei com uma elas sobre qualquer assunto de uma forma natural, o que faz com que elas também falem com a Mãe e não falem só com as amigas.


Como encara o inicio sexual das suas filhas, acha que vai ser diferente com o seu filho?

Elas têm que estar preparadas para o inicio dessa vida com os prós e contras, respeitar e ser respeitadas. Também considero que não difere entre homens e mulheres, que seja exatamente igual.


Como define a palavra AMOR?

É o que nos guia e o maior sentimento do mundo!



Como define o seu percurso de vida aos 46 anos?

O meu percurso de vida define-se mesmo sem fazer grandes planos e agarrando todas as oportunidades que a vida me tem dado fazendo o meu caminho na base daquilo que acredito.


Sexualmente realizada. Vida Feliz. Concorda com o lema do Love with Pepper?

Não! (risos) Considero muito redutor para uma vida realizada, mas é uma das componentes para que a vida flua melhor.


Marta Aragão Pinto, CEO Ofélia


60 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


LWP_Logo_250_250.png
bottom of page