top of page

HPV, Papilomavírus Humano




O HPV é uma infeção causada pelo vírus do papiloma humano .

Apesar de estar em grande destaque atualmente, esta doença já era conhecida na Antiguidade. Reconhecida inicialmente por Hipócrates (460-377 A.C.), foi depois descrita como verrugas na pele, na Era Romana (Celsus 25 D.C.).

Embora existisse relatos da sua ocorrência na Idade Média, naquela época não existia distinção entre diversas doenças sexualmente transmissíveis.

Foi no século XX que apareceram evidências de que as verrugas eram causadas por um vírus.

Nos últimos 30 anos, estudos mais específicos revelaram que essas verrugas são causadas pelo HPV. Estudos revelam sobre a relação entre o HPV e o cancro do colo do utero e que o herpes vírus, inicialmente estudados, não tinha participação na origem deste tumor apenas nos últimos 20 anos.

No final dos anos 70 do século passado inúmeras pesquisas, entre as quais se sobressaíram às realizadas por Harald zur Hausen, vencedor por este motivo do prêmio Nobel de Medicina em 2009, conseguiram caracterizar o Papilomavírus humano (HPV) como elemento essencial na génese desta importante e frequente neoplasia.

Foram Meisels e Morin, no Canadá, com estudos citológicos e Zur Hausen, na Alemanha, com pesquisas biomoleculares, que publicaram os primeiros trabalhos relacionando a infeção por HPV com o carcinoma da cérvice uterina.

Conhecido o agente causador da doença e a importância dos mecanismos imunológicos envolvidos em sua evolução, foi possível a síntese de vacinas, método que visa à prevenção primária do cancro do colo do útero.

Há aproximadamente uma década, a imunização é praticada e os estudos tem mostrado, a cada ano, resultados bastante positivos visto que constatam o acentuado declínio das lesões de alto grau. T

O que é o HPV

A abreviação significa Vírus do Papiloma Humano. Os HPVs são um grupo de mais de 100 vírus relacionados. Para cada variedade de HPV de um grupo é atribuído um número, o qual é chamado de tipo de HPV. O HPV é chamado de vírus de papiloma, porque alguns tipos de HPV causam verrugas ou papilomas, que são tumores não cancerosos.

Transmissão do HPV

Via de regra, o HPV é transmitido durante o sexo, seja ele vaginal, anal ou oral. Até mesmo a masturbação pode levar ao contágio.

Esse vírus fica alojado em qualquer parte da região genital, não só na vagina e no pênis. Vulva, períneo, bolsa escrotal e região pubiana também podem alojar o HPV. Daí porque o preservativo masculino ajuda a evitar a doença, mas não anula o risco de contágio.

Outra forma de transmissão mais rara é a vertical (da mãe para o bebê durante o parto).

Sintomatologia

Nas mulheres, o principal sinal e sintomas indicativo de HPV é a presença de verrugas na região genital, que também são conhecidas como crista de galo, e que podem surgir na vulva, nos pequenos e grandes lábios, no ânus e no colo do útero.


Outros sintomas de HPV na mulher são:


· Vermelhidão local;

· Ardor no local da verruga;

· Coceira na região genital;

· Formação de placas com verrugas, quando a carga viral é elevada;

· Presença de lesões nos lábios, bochechas ou garganta, quando a infeção foi por meio da relação sexual oral.


HPV no Homem

O HPV é uma infeção sexualmente transmissível que no homem, normalmente, pode causar o aparecimento de verrugas no pênis, escroto ou ânus.

Porém, a ausência de verrugas não significa que o homem não tem HPV, já que, muitas vezes, essas verrugas são de tamanho microscópico e não podem ser observadas a olho nu.

Uma vez que o HPV é uma infeção que pode não ter qualquer sintoma, mas que, ainda assim, é contagiosa, é recomendado o uso de preservativo em todas as relações para evitar a transmissão do vírus para outras pessoas.


Principais sintomas de HPV no homem


Os sintomas mais comuns é o aparecimento de verrugas na região genital:

· Pênis;

· Escroto;

· Ânus.


Estas verrugas normalmente são um sinal de infeção pelos tipos mais leves de HPV.


Porém, existem tipos de HPV mais agressivos que, embora não levem ao aparecimento de verrugas, aumentam o risco de cancro genital. Por esse motivo, mesmo que não se apresente qualquer sintoma, é importante fazer consultas regulares no urologista para despistar qualquer tipo de infeção sexualmente transmissível.

Além da região genital, as verrugas também podem aparecer na boca, garganta e em qualquer outro local do corpo que tenha entrado em contato com o vírus do HPV.


Diagnostico

  • Avaliação clínica

O diagnóstico inicial do HPV é feito pelo ginecologista ou urologista por meio da observação da região genital com o objetivo de identificar a presença de lesões ou verrugas indicativas de infeção pelo HPV.


  • Papanicolau

O papanicolau é um exame preventivo de rotina para as mulheres e que têm como objetivo identificar alterações na região externa e interna do órgão genital que possa ser indicativo de infeções ou cancro de colo de útero, por exemplo.


  • Sorologia para HPV

Os exames de sorologia são normalmente solicitados com o objetivo de identificar anticorpos que circulação no organismo contra o vírus HPV, podendo o resultado ser indicativo de infeção ativa pelo vírus ou ser apenas consequência da vacinação.


  • Captura híbrida

A captura híbrida é um teste molecular mais específico para identificação do HPV, pois é capaz de identificar a presença do vírus no organismo mesmo que não existam sinais e sintomas aparentes da doença.




Tratamentos



  • Eletrocoagulação,

  • Laser,

  • Crioterapia

  • Excisão cirúrgica.



Vacina


A vacina contra o HPV, ou papiloma vírus humano, é dada em forma de injeção e tem como função prevenir doenças causadas por este vírus, como lesões pré-cancerosas, cancro do colo do útero, vulva e vagina, ânus e verrugas genitais.


Prevenção


  • utilização do preservativo

  • fazer a vacina do HPV, consoante recomendação médica

  • falar com o parceiro(a) sobre as infeções de transmissão sexual e a sua prevenção

  • realização regular por parte da mulher de um exame ginecológico e do teste papanicolau e/ou teste de HPV-DNA, se recomendado e disponível, mesmo que tenha feito a vacina.


Tipos de cancro são causados pela infeção por HPV

  • cancro do colo do útero

  • cancro vaginal

  • cancro anal

  • cancro da vulva

  • cancro orofaríngeo

  • cancro peniano


Tem cura?

A cura da infeção pelo vírus HPV pode acontecer espontaneamente, ou seja, quando a pessoa possui o sistema imunológico íntegro e o vírus consegue ser eliminado naturalmente do organismo sem que cause o aparecimento de sinais ou sintomas de infeção. No entanto, quando não acontece a cura espontânea, o vírus pode permanecer inativado no organismo sem causar alterações, podendo ser reativado quando o sistema imune se encontra mais frágil.


Marta Campos, Enfermeira Especialista em Saúde Materna e Obstetrícia

34 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


LWP_Logo_250_250.png
bottom of page