top of page

Cirurgia de Redesignação Sexual, por Dra. Joana Costa


Dra. Joana Costa, Cirurgiã Plástica Reconstrutiva e Estética, fez o Internato de Formação Específica no Serviço de Cirurgia Plástica Reconstrutiva Estética e Unidade de Queimados do Centro Hospitalar Universitário de São João, onde que teve a oportunidade, durante a sua formação, de realizar alguns estágios no estrangeiro, um dos quais no Serviço de Cirurgia Plástica do Hospital Universitário de Ghent, centro de referência Europeu em cirurgia de redesignação sexual.


O que é a Transexualidade?

Talvez não seja a melhor pessoa para entrar em pormenores de definição de termos mas, num modo geral e simplista, trata-se de um indivíduo cujo género com o qual se identifica não é o mesmo do género com o qual nasceu.


O que é um processo de redesignação sexual?

Se se refere ao processo cirúrgico de redesignação sexual, implica os procedimentos cirúrgicos que o indivíduo se submete para conseguir identificar o seu corpo de acordo com o seu género.


Quais os requisitos necessários para iniciar este processo?

Implica adotar o género em sociedade que se pretende durante pelo menos 2 anos, uma avaliação realizada por, pelo menos, 2 psiquiatras a confirmar o distúrbio de identidade e género e, habitualmente, hormonoterapia durante pelo menos 1 ano.

Não posso entrar em pormenores em relação à lei em Portugal, uma vez que não recebo novos doentes há já alguns anos, no entanto, julgo que ainda será necessário um parecer da Ordem dos Médicos em relação à possibilidade do início do processo cirúrgico.


A idade mínima para começar este processo?

Em Portugal julgo que ainda se mantém nos 18 anos.


Quanto tempo demora este processo todo?

Bastantes anos, pelo menos 2 anos de iniciar as cirurgias, depois implica 2 grandes procedimentos cirúrgicos (cirurgia da mama e cirurgia genital), tendo em conta as listas de espera nos hospitais públicos, podemos falar em 2-3 anos para se fazerem os procedimentos e, em seguida, muitas vezes são necessárias cirurgias de revisão.


Quais as especialidades médicas necessárias para a aprovação deste processo?

Para aprovação inicial será a Psiquiatria, no entanto existe envolvimento de Endocrinologia, Urologia, Ginecologia, Cirurgia Plástica


Como funciona o processo de mulher para homem?

O processo cirúrgico inclui a cirurgia de mastectomia e a cirurgia de reconstrução do pénis.

  • Como é feita a cirurgia? Existem várias técnicas que têm que ser adaptadas ao biótipo do individuo, mas é sempre necessário o recrutamento de tecidos para reconstrução da uretra e do pénis.

  • Tem uma prótese peniana? É possível a colocação de prótese peniana num segundo tempo cirúrgico.

  • É retirado algum órgão do sistema reprodutor feminino? Depende da vontade a pessoa.

  • E a sensibilidade? Durante a reconstrução são identificados nervos sensitivos para que se possa fazer um neopenis com sensibilidade.

  • O tamanho do pénis? É variável e depende da fisionomia de cada pessoa.

  • Consegue ter ou não ereção? Após a colocação da prótese peniana pode ter ereção.

  • E o prazer sexual? Durante a reconstrução é identificado pelo menos 1 nervo do clitóris para que a reconstrução tenha sensibilidade erógena, o clitóris que mantem alguma sensibilidade pode ser deixado debaixo da pele de forma a poder ser estimulado

Como funciona de homem para mulher?

Existem, também, potencialmente 2 procedimentos: 1 de aumento mamário (que por vezes não é necessário dado o aumento mamário pela hormonoterapia) e a cirurgia de reconstrução vaginal.

  • Como é feita a cirurgia? Na cirurgia de reconstrução vaginal é realizada a amputação do pénis, habitualmente preservando a pele exterior (que irá ser usada para criar o revestimento da vagina) e remodelação das bolsas escrotais para formar os grandes lábios, sendo esta técnica de Inversão Peniana a mais frequentemente usada.

  • É retirado algum órgão do sistema reprodutor masculino? Sim, é feita a remoção dos testículos e todo tecido esponjoso do pénis e uretra peniana.

  • Qual a profundidade da vagina? A profundidade que se consegue obter com a cirurgia é algo variável, dependendo do tamanho do pénis (podendo ser necessário por vezes o recurso a enxerto de pele para maior profundidade). No entanto, pode ser conseguida maior profundidade após a cirurgia com recurso a dilatadores vaginais.

  • Existe a excitação? Habitualmente sim.

  • E a sensibilidade? A sensibilidade está mantida

  • O prazer sexual? Habitualmente é possível conseguir prazer sexual, sendo, no entanto, necessária alguma reaprendizagem.


Qual o tempo de recuperação?

O tempo de recuperação será cerca de 1 mês, caso não haja intercorrências.

Mas implica, por exemplo, no caso da cirurgia de vaginoplastia um uso a longo prazo dos dilatadores vaginais.


Quais os tratamentos pós-operatório?

No pós-operatório imediato serão cuidados de penso.

No caso da vaginoplastia, o uso de dilatadores vaginais.


Quando é possível iniciar a atividade sexual?

No caso da faloplastia será após a colocação de prótese peniana (habitualmente 1 anos após a cirurgia inicial).

No caso da vaginoplastia, assim que esteja completa a cicatrização, habitualmente ao fim de 1 mês.


Consegue-se atingir o orgasmo e o clímax?

É possível, depende de a pessoa conseguir identificar os pontos de estimulação.


A masturbação é segura?

Sim.


O tempo de internamento?

Cerca de 3 semanas.


Com este processo todo é possível ter uma vida sexual ativa e prazerosa?

Reforço que depende muito de cada pessoa, exige um processo de reaprendizagem e de exploração. Mas sim julgo que sim.


Dra. Joana Costa, Cirurgiã Plástica Reconstrutiva e Estética



61 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


LWP_Logo_250_250.png
bottom of page