top of page

AMOR Sem #FIM, por Ângela Ferreira


Ângela Ferreira, natural do Porto, casada com Hugo Neves Ferreira. Este casal é o rosto de o “AMOR Sem FIM”, a história de AMOR que emocionou o nosso país.


Conheceram-se numa formação de cabeleireiros e a conexão entre os dois foi imediata. Como refere foi Ângela, foi Amor à primeira vista. Passaram duas semanas até começarem a namora. Viveram juntos e a relação durou quase dois anos.


Na altura em que Ângela conheceu o Hugo, ele estava doente com um cancro, mas sempre com a esperança de sobreviver a este. Viveram intensamente um grande amor que os uniu ao ponto de casarem num quarto de hospital. Passadas 12 horas o Hugo morreu.


Tinham muitos sonhos, mas o maior sonho que ficou por realizar foi o de serem Pais.


Esta jovem queria engravidar do marido, para concretizar o sonho dos dois e fez-lhe a promessa que iria um filho dele. Na altura, a Lei Portuguesa não permitia que uma mulher engravidasse do marido que tivesse falecido e Ângela conseguiu levar a discussão ao Parlamento. A Lei acabou por ser aprovada e Ângela conseguiu engravidar de um menino que se vai chamar Guilherme e que está quase a nascer.


Guilherme um filho de um Amor puro, verdadeiro e que não morre, continua sempre vivo dentro de Ângela.


Nesta entrevista ao Love with Pepper, Ângela, a três meses de ser Mãe do Guilherme, conta-nos como está a viver esta nova fase da sua vida e como, apesar da ausência do seu marido o AMOR nunca morre.


O Amor não tem fim?

Sim, o Amor não tem fim, visto que quando sentimos e amamos de verdade esse Amor nunca vai deixar de existir.



Foi Amor à primeira vista?

Sim, foi Amor à primeira vista.


Como é que uma relação sobrevive a um cancro?

Na altura em que o conheci, ele já tinha cancro e independentemente de ele o ter ou não, eu já amava o Hugo. Quando o Amor é verdadeiro sobrevive a tudo.



Algum dia pensou que o Hugo morresse?

Durante meses ele preparou-me para isso, mesmo que eu acreditasse e existisse a esperança de que não fosse este o desfecho.


Como se lida com a ausência do cheiro, do toque e da sexualidade?

Não é nada fácil. Ainda sinto o cheiro e o toque, e nesta fase que estou a viver, a da gravidez, eu estou muito feliz, mas, ao mesmo tempo, é doloroso porque imagino tudo e todas as reações que o Hugo teria se estivesse presente.


Acredita que o dia do vosso casamento foi o dia mais feliz das vossas vidas?

Sim, sem dúvida alguma. O dia mais feliz para ambos e termos sempre a esperança de que o caminho fosse sempre juntos.




Qual era o vosso maior sonho?

Sermos pais.


Um filho do Hugo irá colmatar a dor?

Não e nem quero que seja feita essa associação. Ninguém substitui ninguém. Ter um filho era um desejo e um sonho dos dois e só fazia sentido assim.


Quais as expectativas que tinha para o sucesso da fertilização in vitro?

Sempre tentei não ter grandes expetativas, porque a vida nos ensina a isso. No fundo existia uma esperança que tudo ia correr bem.


Qual a sua reação ao ver o resultado positivo?

Reagi de uma forma muito leve apesar do teste estar positivo, porque na inseminação o teste também foi positivo e eu não estava grávida. No dia em que fui fazer a primeira ecografia, aí sim, quando ouvi o coração a bater, foi uma alegria enorme e uma felicidade imensa.


O que é ser Mãe?

É ser o mundo de alguém.


Como imagina o Guilherme?

Imagino um menino determinado, com uma personalidade forte e com um coração gigante.


Quais os seus receios na educação do Guilherme?

Os meus receios estão relacionados com a sua saúde e depois, por mais que ele tenha uma boa educação, que siga caminhos que não sejam os melhores.


Como vê o futuro?

Neste momento, estou a usufruir ao máximo deste momento, a minha gravidez, mas vejo um futuro sorridente a fazer aquilo que realmente gosto.


Considera que a presença paternal é fundamental para educação?

Não, porque, para mim, as crianças precisam de Amor e todas as presenças familiares como como pais, avós, tios são fundamentais na educação destas.


Ao expor-se tanto num tema tão delicado e tão tabu, acha que vai mudar mentalidades da nossa sociedade em relação a inseminação pós-morte?

Acho que consegui mudar mentalidades pela forma como me expus e porque contei primeiro a minha história e as pessoas compreenderam e apoiaram por ser uma história em que o Amor Sem Fim.



O que é a vida?

A vida é um presente. É confiar nos nossos sentimentos, enfrentar desafios, encontrar a felicidade e valorizar lembranças. É aprender e seguir o caminho em frente e com um propósito.


O Amor vence a saudade?

O Amor vence tudo! Costume dizer que, quando se tem o Amor no coração, e por vezes somos humilhados e maltratados, se respondermos sempre com Amor o outro lado fica desarmado e o Amor vence!

Ângela Ferreira, Empresária



Ângela Ferreira, Empresária



1.269 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


LWP_Logo_250_250.png
bottom of page